Entenda como a gestão da qualidade pode ser aplicada à sua farmácia

Gestao da qualidade

Uma boa gestão da qualidade é essencial para o sucesso de uma farmácia magistral. Para que os produtos manipulados sejam seguros e eficazes, é preciso cumprir com uma legislação rigorosa e estabelecer processos de verificação e controle eficientes.

Também é importante destacar que uma gestão da qualidade bem estruturada e formalizada contribui para a credibilidade da farmácia perante médicos e pacientes, o que pode ser uma vantagem competitiva para o empreendimento.

O objetivo deste artigo é destacar como a gestão da qualidade pode ser aplicada em uma farmácia de manipulação. Boa leitura!

Comece pela qualificação dos fornecedores

Só é possível produzir medicamentos manipulados de qualidade se matérias-primas confiáveis forem utilizadas no processo. Por essa razão, o mais importante para a gestão da qualidade é saber como qualificar e escolher fornecedores certos para a farmácia magistral.

Na hora de escolher esses fornecedores, é importante pesquisar a reputação deles e só considerar aqueles que tenham credibilidade no mercado. Também é indicado visitar as instalações e os locais em que as matérias-primas são tratadas antes de serem comercializadas.

É preciso conhecer os processos dos fornecedores e quais são os métodos de produção adotados. Além disso, é importante prezar pela pontualidade e pelo bom atendimento desses parceiros.

Tenha padrões e normas para a identificação dos produtos

É fundamental estabelecer padrões para a identificação dos produtos recebidos e etiquetar todos eles com dados como data de fabricação, data de entrega, número do lote, nome do fornecedor, nome do transportador, validade e, em destaque, o nome da substância.

Além disso, é preciso também utilizar cores na etiqueta para representar se já podem ou não ser utilizados na manipulação de medicamentos: uma etiqueta amarela é utilizada para produtos em quarentena que ainda não foram verificados, a verde é para os que já foram aprovados nessa análise e a vermelha para os que foram reprovados.

A identificação dos produtos é extremamente importante para evitar falhas de processo durante a manipulação que possam levar a erros na fórmula de medicamentos.

Realize a análise da matéria-prima

Todas as farmácias magistrais precisam realizar uma análise das matérias-primas antes de utilizá-las em medicamentos. É preciso verificar densidade, teor alcoólico, pH, peso médio, pureza microbiológica, viscosidade, volume, dissolução e teor do princípio ativo.

Antes dos testes, os produtos ficam em quarentena e só podem ser utilizados após os resultados de todas as verificações. Esse cuidado extra garante que não haverá variações significativas nos medicamentos manipulados que possam comprometer sua eficácia.

Faça um controle de estoque cuidadoso

A gestão de estoque também é decisiva para uma boa gestão da qualidade. Cada tipo de substância exige condições de armazenamento diferentes, que precisam ser atendidas para assegurar suas propriedades.

Além disso, é necessário ter uma atenção especial com os prazos de validade dos produtos e a demanda deles. Comprar algo muito perecível em excesso pode ser um desperdício, mas se alguma substância essencial estiver em falta, os prazos de entrega de medicamentos aos pacientes podem ser comprometidos.

Cumpra todos requerimentos da Anvisa

Por fim, a dica é revisar a RDC 67/2007 da Anvisa, que dita todas as normas e as boas práticas que precisam ser seguidas pelas farmácias de manipulação.

Os padrões impostos pela agência são bem rigorosos e a aderência a eles garante não só a aprovação nas inspeções da vigilância sanitária, mas uma gestão da qualidade satisfatória para a farmácia magistral.

Agora que você já sabe mais sobre a gestão da qualidade, que tal assinar nossa newsletter e ficar por dentro dos melhores conteúdos sobre a administração de farmácias magistrais?

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo