4 erros na gestão financeira para clínica médica

Como em qualquer segmento, a gestão financeira para clínica médica é muito importante para manter seu negócio sempre estável, organizado e trazendo bons resultados, deixando o profissional livre para cuidar de seus pacientes.

A gestão financeira consiste em gerenciar todo o fluxo financeiro, entradas e saídas de dinheiro na sua clínica. Manter esse aspecto sempre organizado pode trazer vários benefícios, além de manter sempre seu negócio funcionando corretamente.

Quando bem aplicada, permite o controle dos lucros e despesas, fazer um fluxo de caixa detalhado e correto, repassar todos os impostos corretamente para a Receita Federal e manter os salários e pagamento de contas em dia. Esses são passos para que a gestão financeira para clínica médica seja realmente efetiva.

Por que a gestão financeira para clínica médica é importante?

A gestão financeira não é um assunto fácil, principalmente para quem não é da área e tem uma carga horária atribulada, como os médicos e outros profissionais da saúde. Mas, não tomar cuidado com a saúde financeira de sua clínica pode causar o fechamento de suas portas.

O profissional que não sabe o quanto sua clínica custa para se manter, não sabe quantos atendimentos deverá fazer por mês para pagar as contas. Além disso, não estabelece metas para si mesmo e para equipe, não faz o suficiente para manter seu negócio vivo e pode acabar por fechar as portas.

Entender o seu fluxo de caixa é o primeiro passo para uma gestão financeira efetiva. Definir as despesas fixas e variáveis, controlar todas as entradas e saídas é essencial para manter sua clínica aberta. Mas não podemos deixar de mencionar a importância de pagar seus funcionários e fornecedores em dia, com margem para imprevistos e emergências.

Os erros mais comuns na gestão financeira para clínica médica

Conheça uma lista de erros mais comuns na gestão financeira para clínicas e evite-os em sua clínica médica!

1. Misturar as contas pessoal e profissional

Para o profissional dono da clínica, misturar as duas contas é um erro frequente. Quando não se sabe de onde realmente vem o dinheiro, fica impossível concluir se sua clínica traz resultados financeiros positivos ou negativos. Pré-estabeleça uma data para o “seu pagamento” como dono do negócio, evitando assim a retirada de dinheiro do caixa da clínica quando houverem necessidade nas finanças pessoais.

2. Deixar de estabelecer limite para os gastos

Muitas clínicas acabam gastando mais do que recebem, o que gera dívidas. Além de ter sempre um fluxo de caixa organizado, o ideal é criar um limite de gastos para cada categoria de despesa. Entre elas, despesas com funcionários, produtos de limpeza, produtos utilizados em procedimentos médicos, entre outras.

3. Deixar de contar com a ajuda de um especialista

Não contar com ajuda financeira profissional, principalmente especializada no segmento da saúde, pode causar problemas por ser um ramo cheio de procedimentos burocráticos. Ter um acompanhamento especializado poupa tempo e pode poupar gastos desnecessários.

4. Centralizar a gestão financeira em uma pessoa só

Mesmo contando com orientação profissional, não é indicado deixar toda a gestão na mão de terceiros,  tampouco deixá-la centralizada com o proprietário ou uma única pessoa da equipe.Centralizar as informações em uma só pessoa, demanda um tempo que poderia ser empregado no desenvolvimento de outras áreas do negócio, principalmente se essa pessoa for o proprietário.

Ao evitar esses erros, a saúde financeira da sua clínica não será afetada.

Gostou do conteúdo sobre os erros de gestão financeira para clínica médica? Leia também outras informações sobre o setor financeiro da sua empresa e anote dicas úteis. Clique aqui!

*Estas informações são direcionadas exclusivamente a profissionais prescritores

Referências: iMedicina, Direcionar Consultoria, Previsa, ContSelf e Shosp.

Comentários no Facebook

topo