10 erros a serem evitados na gestão financeira para clínica médica

gestão financeira para clínica médica

Como em qualquer segmento, a gestão financeira para clínica médica é muito importante para manter seu negócio sempre estável, organizado e trazendo bons resultados, deixando o profissional livre para cuidar de seus pacientes. Ademais, as estratégias de gestão de consultório devem estar alinhadas com o cuidado da saúde dos pacientes.

Na prática, a gestão financeira consiste em gerenciar todo o fluxo financeiro, entradas e saídas de dinheiro na sua clínica. Manter esse aspecto sempre organizado pode trazer vários benefícios, além de manter sempre seu negócio funcionando corretamente.

Quando bem aplicada, permite o controle dos lucros e despesas, fazer um fluxo de caixa detalhado e correto, repassar todos os impostos corretamente para a Receita Federal e manter os salários e pagamento de contas em dia. Esses são passos para que a gestão financeira para clínica médica seja realmente efetiva.

Por que a gestão financeira para clínica médica é importante?

A gestão financeira não é um assunto fácil, principalmente para quem não é da área e tem uma carga horária atribulada, como os médicos e outros profissionais da saúde. Mas, não tomar cuidado com a saúde financeira de sua clínica pode causar o fechamento de suas portas.

O profissional que não sabe o quanto sua clínica custa para se manter, não sabe quantos atendimentos deverá fazer por mês para pagar as contas. Além disso, não estabelece metas para si mesmo e para equipe, não faz o suficiente para manter seu negócio vivo e pode acabar tornando o negócio inviável.

Dessa forma, o médico deve estar ciente do seu papel duplo nessa jornada, ele também é um médico empreendedor. Por isso, deve olhar a gestão financeira para clínica médica como um alicerce que sustentará e garantirá que o negócio tenha perspectivas para o futuro. Sendo assim, sempre se manter atualizado para oferecer novos e melhores serviços para seus clientes. Ademais, o ramo da saúde é um dos mais competitivos. Continue a leitura para conhecer os fatores de gestão que requerem cuidados extras.

Os erros mais comuns na gestão financeira para clínica médica

Conheça uma lista de erros mais comuns na gestão financeira para clínicas e evite-os em sua clínica médica!

1. Misturar as contas pessoal e profissional

Para o profissional dono da clínica, misturar as duas contas é um erro frequente. Quando não se sabe de onde realmente vem o dinheiro, fica impossível concluir se sua clínica traz resultados financeiros positivos ou negativos. Preestabeleça uma data para o “seu pagamento” como dono do negócio, evitando assim a retirada de dinheiro do caixa da clínica quando houverem necessidade nas finanças pessoais.

2. Não controlar o fluxo de caixa

Entender o seu fluxo de caixa é o primeiro passo para uma gestão financeira efetiva. Definir as despesas fixas e variáveis, controlar todas as entradas e saídas é essencial para manter sua clínica aberta. Mas não podemos deixar de mencionar a importância de pagar seus funcionários e fornecedores em dia, com margem para imprevistos e emergências.

Aliás, realizar esse controle pode ser mais fácil com a ajuda da tecnologia. Existem diversos softwares e aplicativos para consultório. Entre eles, para gestão financeira de clínicas, eles reúnem dados e apresentam projeções. É uma forma prática, segura e rápida de ter um visão objetiva e ampla da vida financeira da sua clínica.

3. Deixar de estabelecer limite para os gastos

Muitas clínicas acabam gastando mais do que recebem, o que gera dívidas. Além de ter sempre um fluxo de caixa organizado, o ideal é criar um limite de gastos para cada categoria de despesa. Entre elas, despesas com funcionários, produtos de limpeza, produtos utilizados em procedimentos médicos, entre outras.

4. Deixar de contar com a ajuda de um especialista

Não contar com ajuda financeira profissional, principalmente especializada no segmento da saúde, pode causar problemas, por ser um ramo cheio de procedimentos burocráticos. Ter um acompanhamento especializado poupa tempo e pode poupar gastos desnecessários, principalmente ao abrir um consultório.

5. Centralizar a gestão financeira em uma só pessoa

Mesmo contando com orientação profissional, não é indicado deixar toda a gestão nas mãos de terceiros, tampouco deixá-la centralizada com o proprietário ou uma única pessoa da equipe. Centralizar as informações em uma só pessoa, demanda um tempo que poderia ser empregado no desenvolvimento de outras áreas do negócio, principalmente se essa pessoa for o proprietário.

6. Não Investir em um sistema de gestão

Como mencionamos no tópico de controle do fluxo de caixa, a tecnologia pode ser sua aliada! Não só na gestão financeira para clínica médica, mas para as diversas áreas relacionadas à ela. Do administrativo, agenda de pacientes, até o marketing, todas podem ser centralizadas em um sistema de gestão geral. Dessa maneira, você tem todas as informações da sua clínica e pode planejar suas estratégias com melhor eficiência.

7. Não fazer um planejamento financeiro

Como qualquer outro negócio, a clínica médica precisa ter objetivos a curto e longo prazo. Portanto, para cumprir com esse plano, é preciso traçar como será a vida financeira da sua clínica. Isso implica garantir um balanço estável nas contas, assegurando uma segurança financeira para possíveis imprevistos.

Além disso, o planejamento financeiro impulsiona as estratégias da clínica e as torna viáveis. Assim como determina quais metas podem ser cumpridas de acordo com o porte da sua clínica. Planeje, teste, altere se for preciso. Mas antes de tudo, tenha um planejamento sólido capaz de manter sua clínica aberta.

8. Não cuidar das questões tributárias

Cada município e estado brasileiro possui regulamentações sobre o funcionamento de serviços privados de saúde. Sendo assim, é fundamental verificar em qual regime tributário sua clínica médica está inserida, quando são feitos os pagamentos, a porcentagem cobrada e analisar como ela afeta a gestão financeira para clínica médica. Essas informações podem ser consultadas com um contador, sempre busque informações confiáveis com os profissionais adequados.

9.  Não controlar o estoque da clínica médica

Oferecer um assistência médica de qualidade para o paciente exige uma boa gestão dos recursos da clínica. Para realizar o serviço, trabalhadores precisam de materiais todos os dias, o que torna essencial ter um controle da entrada e saída de itens. Portanto, a gestão para clínica médica precisa ter um bom estoque de produtos. Não só para evitar a falta de um recurso, mas também para desenvolver estratégias para minimizar os custos com armazenamento e com possíveis desperdícios.

10. Deixar de investir em marketing

Também faz parte da gestão financeira para clínica médica o investimento em marketing. O setor de finanças deve estar ciente do grande impacto que este setor representa para o sucesso da clínica. Assim, analisar a cada novo planejamento financeiro, a quantidade de recursos que devem ser reservados para essa área, capaz de fidelizar e conquistar novos clientes.

Ao se evitar esses erros, a saúde financeira da sua clínica não será afetada.

Interessado em como aprimorar mais sua gestão para clínica médica? Leia aqui como seu consultório pode funcionar de modo online, atrair mais pacientes, oferecendo conforto e comodidade.

*Estas informações são direcionadas exclusivamente a profissionais prescritores

Referências: iMedicina, Direcionar Consultoria, Previsa, ContSelf e Shosp.

Comentários no Facebook

topo