Queda capilar: 10 fatores que influenciam na saúde do cabelo

queda capilar

Uma pessoa saudável perde até cem fios de cabelo por dia, o que é normal, considerando que o couro cabeludo possui mais de cem mil fios. Entretanto, para saber se a queda capilar passou do limite aceitável para um estado de alerta, você pode fazer um teste simples: passe as mãos nos cabelos e conte quantos fios se soltam naturalmente entre os dedos. Se o número for maior do que cinco pode ser um sinal de patologia.

Além do fator estético, a queda de cabelo pode significar problemas de saúde. Por isso, é importante investigar os motivos por trás da queda e buscar o tratamento adequado. Se notar que há uma queda capilar excessiva, o mais recomendado é ir ao dermatologista. Esse é o profissional especialista indicado para orientar o paciente sobre o tratamento necessário. Afinal, é preciso descobrir as causas para iniciar um tratamento médico.

Ainda com dúvidas? Continue a leitura e entenda porque os cabelos caem e quais os fatores que podem influenciar o problema. Ao final, você vai conhecer as principais formas de tratamento.

QUEDA CAPILAR: COMO ELA ACONTECE

Como falamos, a queda de cabelo é um processo natural do organismo. Isto é, o próprio fio passa por estágios que vão desde o crescimento, estabilização e queda natural. Assim, o primeiro ciclo dura em média de três a seis anos, o segundo dois anos e o último, três meses.

No entanto, o passar do tempo e a genética podem ser responsáveis por um cabelo mais ralo. Além disso, também existe a queda capilar sem causa específica, como o eflúvio telogênico ou telógeno. O cabelo também pode cair devido à doenças endócrinas ou metabólicas, como as disfunções de tireoide. Aliás, a queda de cabelo pode estar ligada ao estresse, anemia ou alterações hormonais. Essas são conhecidas como as três causas mais comuns para a perda dos fios.

Portanto, é importante ficar atento à queda excessiva dos fios e buscar ajuda médica para verificar as causas. Dessa maneira, mais eficazes podem ser as soluções para frear a alopecia.

1. Estresse

O estresse físico ou emocional afeta a saúde pode provocar a perda de cabelo. Isso ocorre porque o cérebro libera substâncias que aceleram a queda capilar quando é forçado a passar por longos períodos em estado de alerta.

Se não for tratado a tempo, o problema pode evoluir para uma alopecia areata. Nesse caso, um processo inflamatório na área da raiz dos fios provoca a queda concentrada em regiões circulares do couro cabeludo.

2. Genética

O principal vilão da queda capilar é a genética, e os homens são os mais afetados nesse caso. O problema aqui se chama calvície, e ocorre quando os folículos pilosos são estimulados por hormônios masculinos.

O resultado é a diminuição do ciclo de crescimento dos fios até que ocorra a interrupção total. Na maioria dos casos, a queda de cabelo é concentrada na parte superior do couro cabeludo, enquanto as laterais não sofrem alterações.

3. Químicas

Algumas coisas que são encaradas como cuidados com os cabelos, na verdade, podem danificar os fios e, em excesso, provocar a queda.

É o caso de produtos químicos, seja para tingir, descolorir ou alisar. Para fugir dessa armadilha, descubra a beleza natural dos fios cuidando da saúde capilar. Clique aqui e saiba como realçar seus cabelos naturais.

4. Pós-parto

Durante a gravidez, há uma alteração nos hormônios, o que causa uma diminuição na queda capilar. Depois que o bebê nasce, três meses após o parto, os hormônios voltam a se regular e todo aquele cabelo que não tinha caído, enfim, cai.

5. Vitaminas

A falta ou o excesso de vitaminas e nutrientes também afetam o couro cabeludo. Os principais casos são deficiência de ferro, excesso de vitamina A e falta de proteína.

A vantagem nesses casos é que o tratamento é simples. Basta equilibrar a alimentação e os resultados serão percebidos em poucas semanas.

6. Hormônios

Os hormônios masculinos são os protagonistas na queda capilar genética. Por outro lado, os hormônios femininos podem ser responsáveis pela queda de cabelo em diversas ocasiões ao longo da vida das mulheres.

Qualquer situação com grande mudança hormonal pode ser um fator desencadeante para a queda de cabelo, como gravidez, mudança ou suspensão de pílula anticoncepcional e menopausa.

7. Medicamentos

Certos medicamentos podem fragilizar os fios, causando um aumento na queda do cabelo. Entre eles, os antidepressivos, anti-hipertensivos, antibióticos e anabolizantes. Por isso, é preciso estar atento às reações adversas que alguns remédios causam. Assim como, consultar um profissional da saúde especializado que possa ajudar com essa condição.

8. Oleosidade

A proliferação de fungos pode ter causa na oleosidade excessiva dos fios. Isso causa a queda capilar, coceira e descamação do couro cabeludo. Para solucionar esse problema, o intervalo entre os banhos pode ser reduzidos. Entretanto, na hora do banho, evitar a água quente, friccionar duramente o couro cabeludo. Além disso, é recomendável somente usar shampoos indicados pelo dermatologista.

9. Metabolismo

Um metabolismo lento demais pode dificultar o trabalho dos vasos sanguíneos que irrigam o couro cabeludo. Assim, os fios não recebem a nutrição adequada e começam a cair. Portanto, diabetes, obesidade e hipertensão podem agravar esse quadro.

Há vários medicamentos no mercado que auxiliam no tratamento da queda capilar. Os produtos que contém Keranat™ são o segredo para a beleza dos fios, pois ajudam a recuperar a saúde dos cabelos, reduzindo a queda, aumentando o brilho e o volume dos cabelos.Clique aqui para conhecer o ativo de forma completa.

10. Hábitos de vida

A alimentação tem um papel fundamental no fortalecimento dos fios. É por meio da ingestão alimentar que o corpo obtém as vitaminas, nutrientes e minerais necessários para o crescimento saudável do cabelo. Por isso, é importante manter uma alimentação equilibrada e balanceada. Além disso, evitar hábitos nocivos como o fumo, que contém substâncias tóxicas e prejudiciais para todo o organismo, interferindo inclusive na vitalidade capilar.

Dito isto, que tal conhecer os tratamentos para queda capilar mais comuns? Confira abaixo!

MUDANÇA DE HÁBITOS

Já que o nosso último tópico foi sobre como os comportamentos habituais e a alimentação afetam a saúde, vamos começar por essa solução. Os fios podem crescer saudáveis, fortes e bonitos se existe uma alimentação capaz de oferecer todos os nutrientes necessários. Entre os nutrientes que devem fazer parte do cardápio estão:

  • ômega 3;
  • zinco;
  • ferro;
  • betacaroteno;
  • vitamina B;
  • vitamina C

Aliás, um dos primeiros exames que um profissional da saúde pode recomendar ao paciente que chega ao consultório com queda capilar, é um hemograma. Afinal, ele busca identificar se há falta de alguma substância no organismo do indivíduo e orientar sobre como sanar essa deficiência nutricional. Além disso, também é importante ficar atento sobre o excesso de vitaminas. Isso pode ser um hábito prejudicial para o crescimento e vida do cabelo.

Já sobre os hábitos de vida, evitar o tabaco e o álcool, são sugestões médicas essenciais. Não só para manter os fios com saúde, mas também para evitar que o corpo seja exposto a outros riscos.

TRANSPLANTE DE CABELO

O que antes era um tabu, acabou se tornando uma opção viável para muitas pessoas. O avanço nos estudos médicos sobre esse tratamento para queda capilar tornou o transplante um procedimento mais seguro e confiável. Mas como ele funciona?

O transplante de cabelo consiste na retirada de fios de outras áreas do corpo. Por exemplo, da região da nuca, costas ou peito. Em seguida, é feita a implantação dos fios de cabelo nos locais onde faltam fios. Entretanto, o transplante de cabelo nem sempre é uma das opções mais usuais, pois existem técnicas menos invasivas. Portanto, mais uma vez, a revisão do médico é fundamental para a escolha do melhor tratamento contra queda capilar.

VERISOL®

VERISOL® é uma combinação única de Peptídeos Bioativos de Colágeno®, obtidos a partir de um processo tecnológico especial e patenteado. Sendo assim, têm sua origem em peptídeos específicos para atuar nas células dérmicas e, assim, estimular e restaurar o metabolismo destas células de dentro para fora. Por isso, Verisol® é considerado um tratamento que ocorre de dentro para fora.

O mecanismo de ação de Verisol faz com que os peptídeos atuem nas camadas mais profundas da pele. Esse procedimento se faz necessário para recuperar a perda de colágeno, característica natural que também tem suas causas no envelhecimento. Além disso, o envelhecimento cutâneo pode ser reforçado com a poluição, o estresse, o cigarro e o álcool. Mas, o principal fator é considerado o fotoenvelhecimento, ou seja, a exposição solar cumulativa.

Um estudo randomizado,dos laboratórios Gelita, controlado por placebo, mostra que a suplementação com os peptídeos de colágeno bioativo específicos de VERISOL® pode resultar em uma estrutura capilar melhorada, aumentando significativamente a espessura do cabelo e a proliferação de células foliculares capilares humanas.

O estudo foi realizado em 44 mulheres saudáveis ​​com idades entre 39 e 75 anos, que receberam uma dose diária de 2,5 g de VERISOL® ou placebo por 16 semanas. No final do período de suplementação, o uso de VERISOL® levou a um aumento significativo na comparação dos cabelos, os dois grupos revelaram um aumento estatisticamente significativo na espessura do cabelo no grupo VERISOL® em comparação ao placebo, confirmando os benefícios do VERISOL® na espessura do cabelo, um aspecto fundamental de aparência saudável do cabelo.

Além disso, o estudo investigou se a eficácia demonstrada anteriormente de VERISOL® nas células estimulantes da matriz extracelular da pele poderia ter um impacto positivo nas células do folículo piloso e promover sua proliferação.

O teste in vitro mostrou um aumento estatisticamente significativo de 31% nas taxas de proliferação de células foliculares capilares humanas após exposição ao VERISOL® por 4 horas, em comparação com as células controle não tratadas.

A IMPORTÂNCIA DO DERMATOLOGISTA

No entanto, ressaltamos que é imprescindível a consulta com um médico especialista. O profissional mais indicado é o dermatologista, o qual também pode ter uma especialização em queda capilar. Na consulta, o médico irá avaliar os fatores causadores do problema.

Para isso, poderá questionar qual a frequência da queda de cabelo, se existe uma área específica da queda, quais são seus hábitos, que tipo de produtos utiliza e se existem outros sintomas. Sobretudo, o tratamento indicado pelo profissional dependerá da avaliação médica, que determinará quais são as causas da queda capilar.

Gostou de saber sobre os benefícios de VERISOL® também para os cabelos? Obtenha esse e outros produtos manipulados da Ibero Magistral nas farmácias de manipulação. Clique aqui para verificar qual é a mais próxima de você. 

Referências: Minha Vida, Revista Saúde e Revista Glamour

Powered by Rock Convert

Comentários no Facebook

topo