Manipulado de qualidade: dicas para escolher e acondicionar insumos farmacêuticos

escolher insumos farmacêuticos

Os insumos farmacêuticos viabilizam a eficácia dos medicamentos manipulados. Dessa maneira, a matéria-prima e sua aquisição são fatores decisivos na qualidade da formulação farmacêutica. Sendo assim, a etapa de escolher insumos farmacêuticos torna-se prioridade na farmácias magistrais. A sua farmácia cumpre corretamente todos os procedimentos dessa escolha?

Inegavelmente, esse é um tema que exige cuidado técnico e conhecimento na manipulação pela equipe farmacêutica. Afinal, fazer uma escolha assertiva dos insumos também afeta outros processos da farmácia, como produção e estoque. Assim como garante a segurança do medicamento para o paciente.

Dessa forma, cumprir com todas as especificidades no processo de aquisição dos insumos exige diversos fatores. Aliás, os quesitos legais são de extrema importância e devem estar presentes em todas as etapas. Então, quer saber como escolher os insumos farmacêuticos para sua farmácia adequadamente? Continue a leitura! 

ESCOLHENDO OS INSUMOS FARMACÊUTICOS: OS FORNECEDORES

Conhecer a reputação, analisar documentação, armazenamento e condições de fracionamento são pontos essenciais na hora de selecionar um fornecedor. Além de ter a capacidade técnica de oferecer para sua farmácia o que ela precisa, o fornecedor também deve seguir as regras de base legal. Principalmente as regulamentações da  Anvisa e vigilância sanitária local. Caso o fornecedor não cumpra algum quesito, descarte-o da sua lista no processo de aquisição de insumos farmacêuticos. 

Além disso, escolha um fornecedor que esteja antenado nas últimas novidades em soluções farmacêuticas. Assim, você terá em seu catálogo de produtos os itens que mais estão sendo procurados e se destacará da concorrência e ainda ganhará pontos com seus clientes. O que demonstra o quanto a escolha do fornecedor também atua de maneira estratégica nas vendas.

Outro ponto importante que envolve os fornecedores é de quesito estratégico. Manter uma boa lista de contatos pode garantir melhores acordos farmacêuticos. Dessa forma, sua farmácia pode oferecer melhores preços para os clientes. E assim, ter uma margem de lucro maior.

ANÁLISE DA MATÉRIA-PRIMA

É papel do farmacêutico verificar os certificados de origem das matérias-prima, assim como os laudos de análise. Portanto, no recebimento, elas devem ser identificadas, armazenadas, colocadas em quarentena, amostradas e analisadas de acordo com suas especificações e rótulos.

Assim como, cada lote de insumo farmacêutico recebido deve passar por um teste que verifica as suas características organolépticas, que são:

  • pH;
  • peso médio;
  • densidade;
  • grau ou teor alcoólico;
  • viscosidade;;
  • volume;
  • teor do princípio ativo;
  • dissolução;
  • pureza microbiológica.

Da mesma forma, é essencial fazer uma inspeção na integridade e limpeza da embalagem no ato do recebimento. E claro, verificar que o pedido e a nota de entrega coincidem. Afinal, quanto mais rápido são detectados os problemas no recebimento da matéria-prima, menores são as chances de que eles afetem as demais etapas na produção do manipulado.

ARMAZENAMENTO

É necessário que a farmácia tenha um espaço adequado para armazenar seus insumos. Além de que a identificação dos insumos deve ser feita de maneira organizada e padronizada. Desse modo, a farmácia garante que a qualidade dos produtos será preservada seguindo as indicações do fornecedor. 

O laboratório também é outro espaço que deve seguir as regras legislação vigente:

  • área mínima de 10 m²;
  • paredes de azulejo ou revestimento liso e pintura a óleo;
  • iluminação artificial ou natural adequadas, devendo haver espaço para área escura (leitura cromatográfica);
  • localização do almoxarifado e laboratórios de produção, estando isolados e independentes uns dos outros;
  • temperatura ambiente de 20 graus Celsius, para o funcionamento de equipamentos analíticos;
  • bancadas de alvenaria ou madeira formicada com uma camada protetora para evitar quebra das vidrarias.

ROTULAÇÃO E ESCOLHA DA EMBALAGEM

Após a manipulação, a solução farmacêutica deve estar corretamente rotulada e na embalagem adequada. Além de proteger o manipulado, a embalagem conserva as propriedades da solução, garantindo sua eficácia. Não se deve esquecer de indicar na rotulação o prazo de validade da solução. Ademais, outras informações importantes acerca da medicação devem estar inseridas no rótulo.

São elas:

  • nome do fornecedor;
  • endereço e telefone;
  • CNPJ;
  • nome do insumo farmacêutico (DCB, DCI E CAS)
  • em caso de matéria-prima vegetal, indicar nome popular, científico e parte da planta utilizada;
  • quantidade e sua unidade de medida;
  • número de lote;
  • data de fabricação;
  • prazo de validade;
  • condições de armazenamento;
  • se for o caso, data de fracionamento do insumo;
  • nome do Responsável Técnico e seu registro profissional;
  • origem, indicação do fabricante

Além disso, as etiquetas podem conter informações sobre o estágio em que se encontra o manipulado. Contudo, de acordo com a fase de análise em que se encontra o insumo farmacêutico, elas podem ainda contém cores na etiqueta, como:

  • Quarenta: amarela;
  • Aprovado: verde;
  • Reprovado: vermelho

Sobretudo, somente após toda essa análise, é possível dar prosseguimento nos próximos estágios de produção do manipulado.

COMO MELHORAR A ESCOLHA DE INSUMOS FARMACÊUTICOS

Apesar do crescimento constante das farmácias magistrais, elas ainda sofrem com o descrédito de algumas pessoas. Uma maneira de driblar essa situação é aprimorar o controle de qualidade dos insumos que são escolhidos. Isso significa realizar testes para garantir que o manipulado chegue ao cliente com a qualidade esperada. Vale ressaltar que com a manipulação de fórmulas é possível “personalizar” a dose e forma farmacêutica para atender a necessidade de cada cliente.

PLANEJAR O ESTOQUE

O processo de estocagem deve se basear nos históricos de entrada e saída de insumos dos últimos anos. Bem como se deve levar em conta os hábitos e tendências de consumo do público da farmácia. Portanto, é importante estar atento às mudanças de estações, preferências de consumo e novidades do mercado.

Com o estoque no nível adequado, a farmácia magistral tem uma quantidade ideal de insumos, que serão produzidos de acordo com a demanda do público. O que evita desperdícios na etapa de escolher insumos farmacêuticos. Assim, há economia de produtos e recursos financeiros. Da mesma maneira, garantia no equilíbrio da produção de manipulados.

Acima de tudo, outro ponto que o farmacêutico deve se atentar é nas datas de validade. Portanto, deve seguir o procedimento de separação dos insumos com prazo de validade próximo e planejar seu descarte.

No caso de dúvidas, recorra sempre a ANVISA e Vigilância Sanitária local que possuem todas as normas atualizadas.

Como você viu, a gestão de estoque é fundamental para uma farmácia magistral. Leia neste artigo como fazer essa gestão e os benefícios que ela proporciona para o empreendimento!

Observação: Estas informações são direcionadas exclusivamente para farmácias de manipulação. Consumidores finais não devem se guiar por elas

 

Referências: ANVISA e Portal Educação

Comentários no Facebook

topo