As principais consequências do estresse e como tratá-las

estresse

Considerado como o mal do século, o estresse atinge mais pessoas do que se pensa. Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto de Psicologia e Controle do Estresse (IPCS), mais de 30% dos brasileiros entrevistados apontaram sofrer com níveis de estresse extremo. Para fazer uma comparação, esse número não passou de 20% entre os norte-americanos.

A situação preocupa, já que as consequências do estresse podem provocar danos graves à saúde. Sobretudo, isso acontece porque o organismo de uma pessoa sob esse estado, sofre alterações de humor drásticas durante o dia, manifestando reações fisiológicas, como dor de cabeça ou dor de estômago, por exemplo.

No entanto, os efeitos não param por aí. Por isso, trouxemos, neste post, as principais reações patológicas que altos níveis de estresse provocam no corpo e indicações sobre como tratá-las. Confira!

Quais as consequências do estresse?

Queda de cabelo

Os problemas físicos são os mais aparentes efeitos do estresse, e o primeiro deles e o mais comum, é a queda de cabelo, que acontece tanto em homens como em mulheres. Assim, os hormônios de testosterona gerados por esse mal, interrompem o crescimento das células responsáveis pelo desenvolvimento capilar.

Sobrepeso

Ao passar por uma situação de alto nível de estresse, o organismo utiliza mecanismos inteligentes de proteção e defesa. Portanto,quando se sente ameaçado, seja por situações de tensão, seja por nervosismo causado por determinadas questões, como violência, família, trabalho, trânsito, entre outros, o corpo começa a economizar e proteger toda a energia que tem armazenada.

Além disso, outro fator que influencia para o ganho de peso é o fato de que, por estar com uma ou mais áreas da vida afetadas, a pessoa estressada desencadeia a compulsão alimentar, e começa a comer pior ou comer alimentos com menor valor nutricional.

Problemas de memória

Não são só nas áreas emocionais e físicas que os níveis excessivos de estresse interferem. Inegavelmente, a saúde mental de uma pessoa com essas características também é afetada. Assim, alterações neuroquímicas podem influenciar diretamente nas habilidades de memória e concentração.

Doenças de pele

Quando o corpo está sob muita tensão, a imunidade diminui e as doenças ficam mais propensas a aparecer. A princípio,o organismo consegue se preparar para lidar com o estresse do dia a dia, mas não com grande intensidade ou por longos períodos.

Logo, quando esse limite é ultrapassado, surgem efeitos colaterais no metabolismo. Na pele, essas consequências aparecem em forma de acne, ressecamento, rugas e aspecto cansado.

Depressão

Os efeitos prolongados do estresse podem levar uma pessoa a entrar em estágios de depressão, condição que traz muito sofrimento ao ser humano. Contudo, algumas situações de depressão originadas por estresse podem ser minimizadas com o auxílio de controladores de estresse: alimentação, exercício físico, relaxamento muscular e reestruturação cognitiva.

A saber, em casos mais extremos de transtornos psiquiátricos, o auxílio médico é imprescindível.

Problemas crônicos de saúde

Além dos problemas que comentamos acima, o estresse pode desencadear citocinas inflamatórias, causando inflamação subclínica, deixando o corpo suscetível a desenvolver doenças crônicas e autoimunes. Veja alguns exemplos:

  • Insônia;
  • Transtornos alimentares (compulsão, anorexia);
  • Problemas Cardiovasculares;
  • Síndrome do intestino irritável;
  • Prisão de ventre
  • Problemas gastro-intestinais: azia, má digestão e etc.

Como tratar o estresse?

A primeira opção para diminuir e, consequentemente, eliminar o estresse da vida de uma pessoa, é trabalhar em atividades reduzam os efeitos da tensão. Aliás, algumas dessas boas práticas incluem: cuidar da saúde, dormir bem, alimentar-se de forma saudável, permitir-se momentos de relaxamento e prazer, praticar atividades físicas e evitar substâncias tóxicas.

Porém, quando os níveis atingidos já não são controláveis ou diminuídos por essas atividades, a ajuda de terapias e/ou tratamentos médicos pode ser a opção mais adequada. De qualquer maneira, uma pessoa sob os efeitos do estresse não deve nunca buscar a automedicação, uma vez que isso pode levar a uma piora do quadro.

Tratamentos naturais

Certamente o estresse pode ser combatido de maneiras naturais, a exemplo do Zembrin®. O nutracêutico melhora o humor, ansiedade, e age no aumento da função cognitiva em pessoas saudáveis que sofrem de transtorno alimentar, ansiedade, tensão e TPM. O ativo atua no sistema nervoso central de forma natural, sem causar dependência. Veja os principais benefícios abaixo:

  • Proporciona noites de sono tranquilas e reparadoras;
  • Combate os sintomas da depressão;
  •  Auxilia nos planos de gerenciamento de peso, combatendo a compulsão alimentar associada ao estresse e à ansiedade;
  •  Ameniza os sintomas iniciais do Alzheimer;
  •  Melhora a atenção e o raciocínio;
  •  Alivia os sintomas da TPM;
  •  Equilibra os níveis de cortisol no organismo, proporcionando mais saúde;

Clique aqui para encontrar Zembrin® na farmácia de manipulação mais perto de você.

Vale reforçar, que a consulta com um profissional é indispensável para um diagnóstico correto sobre sua condição de saúde. Além disso, uma avaliação psicológica pode ser necessária para tratar o problema em sua origem

Como você viu, são muitas as consequências do estresse, podendo afetar negativamente a vida de uma pessoa de várias formas. Ademais, como é mais comum do que parece, é bom estar em estado de alerta para poder auxiliar quem precisa de ajuda.

Então, gostou de saber mais sobre o assunto? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros conteúdos relevantes como este!

Comentários no Facebook

topo