Biodisponibilidade: como esse fator pode impactar nos tratamentos?

biodisponibilidade

A pesquisa é um dos pilares da indústria farmacêutica. Ela é quem determina melhores processos de produção de medicamentos e suplementos, analisa insumos e proporciona melhores tratamentos. Um desses estudos que têm impacto na saúde do paciente é sobre a biodisponibilidade do medicamento. 

Como você sabe, uma alta biodisponibilidade do fármaco resulta em uma ação farmacológica ideal. Afinal, o princípio ativo está à disposição do organismo do paciente, tendo ação principal no seu local de atuação. Apesar da biodisponibilidade ser um dos diversos fatores que afetam a saúde do paciente, ela continua a ocupar uma posição de relevância no momento de prescrever uma receita médica.

Sendo assim, entenda o que você precisa saber sobre biodisponibilidade para oferecer melhores tratamentos para seus pacientes!

A BIODISPONIBILIDADE E SUA IMPORTÂNCIA

No momento de determinar quais serão as dosagens necessárias para que o fármaco faça afeito, a biodisponibilidade tem papel-chave. Seu estudo determina como cada medicamento deve ser consumido, aspectos de absorvência e meia-vida. Assim como, avalia a administração de medicamentos. 

Ao lado disso, a forma farmacêutica empregada e o grau de pureza do medicamento são elementos fundamentais que afetam a biodisponibilidade. Dessa forma, substâncias de uso sub-lingual, endovenosas e intramusculares são melhores opções que formas farmacêuticas de comprimidos ou cápsulas, por exemplo.

Dessa forma, a indústria farmacêutica sempre traz inovações com intuito de aumentar a biodisponibilidade de um medicamento ou produto. Um dos exemplos mais usados e vantajosos, é o uso de bases galênicas. Elas são capazes de facilitar e melhorar o grau de absorção de uma substância. O que também revela como é necessário estar acompanhando as novidades do mercado farmacêutico.

COMO A BIODISPONIBILIDADE AGE NO TRATAMENTO

Sabemos que o ideal no tratamento terapêutico é que a substância seja absorvida ao máximo pelo organismo do paciente, em um prazo curto de tempo e que o corpo utilize o princípio ativo para o efeito desejado. No entanto, o fracionamento em doses de um medicamento ou a interferência de outros medicamentos pode afetar o sucesso do tratamento.

Sendo assim, o acompanhamento do profissional da saúde se faz ainda mais relevante. É nas consultas médicas que o profissional poderá avaliar como esses outros fatores estão interferindo na tratamento e como a biodisponibilidade pode ser aumentada. 

Além disso, também é preciso estar atento às diferentes formas de manipulação de um princípio ativo. Procedência, como foi armazenada, distribuidora, processo de fabricação,  entre outros fatores, também afetam a biodisponibilidade do fármaco. O que torna essencial a escolha de insumos de qualidade que possam garantir um tratamento de sucesso. 

OS ESTUDOS DE EFICÁCIA

Por fim, também é importante citar os estudos de eficácia. Eles são os principais norteadores do profissional de saúde no momento de indicar o melhor tratamento para o paciente. É por meio desse material que o prescritor escolhe medicamentos de qualidade e pode potencializar as chances de obter um tratamento eficaz.

Ademais, manter-se atualizado sobre os avanços no estudos de biodisponibilidade traz mais segurança e credibilidade para o profissional. Afinal, o paciente obtém sucesso e segurança ao fazer uso de medicamentos e produtos farmacêuticos. E, claro, pode contar com a ajuda do profissional.

Se o nosso artigo foi útil, compartilhe-o nas suas redes sociais!

Referências: Portal São Francisco e Osteoartrose.com

Comentários no Facebook

topo