Zembrin®: relação com a enzima PDE e os efeitos no combate aos sintomas do Alzheimer

Zembrin®

O estresse pode causar em nosso corpo diversos danos psicológicos, como ansiedade, insônia, irritação, impaciência e até desmotivação, além dos danos físicos como gastrite ou diarreia. O medicamento Zembrin®, extraído da planta sul-africana Sceletium tortuosum, vem sendo amplamente utilizado para combater tais sintomas no organismo. A boa notícia é que estudos recentes mostram que a o medicamento também pode reduzir os danos cognitivos causados pelo envelhecimento e até mesmo pela Doença de Alzheimer.

Os resultados, avaliados por meio dos Sinais Vitais do SNC e Hamilton Depression Rating Scale (HAM-D), mostram como a interação do Zembrin® com a enzima PDE-4 contribuíram para esse quadro. Entenda mais a seguir.

Como o Zembrin® age no seu corpo?

O estresse promove o aumento de adrenalina e glicocorticoides no corpo. Os glicocorticoides atuam diminuindo a ação do nosso sistema imune, enquanto a adrenalina prepara o corpo para a fuga, aumentando batimentos cardíacos e pressão arterial. A constância dessa reação no organismo pode deixar o corpo suscetível a infecções, problemas cardíacos entre outros danos.

Zembrin® conta com a ação de quatro alcaloides principais: mesembrenol, mesembrina, mesembrenona e mesembrano, que vão atuar na inibição seletiva da recaptação da serotonina e da enzima Fosfodiesterase-4 aliviando esses sintomas. A serotonina coordena e regula emoções importantes no corpo, como humor, agressividade ou até mesmo o comportamento alimentar e sexual do indivíduo.

O que os novos estudos mostram?

A Doença de Alzheimer afeta as funções cognitivas do cérebro, sendo a principal a memória para fatos recentes. A Fosfodiesterase-4 (PDE-4) tem papel fundamental na chamada “memória via cascata”, atuando na redução dos níveis de cAMP fosforilada (pCREB).

Estudos emergentes que podem ser encontrados no site da International Journal of Mental Health and Psychiatry mostram que direcionar a PDE visando a sinalização PDE-4-cAMP-CREB pode representar uma nova abordagem no tratamento terapêutico da doença de Alzheimer.

Como foram feitos os testes?

Um estudo randomizado, duplo-cego, cross-over e placebo controlado foi feito em dois grupos com 21 pacientes saudáveis que receberam durante 3 semanas uma dose de 25mg de Zembrin® ao dia ou um placebo. Foram analisados fatores como velocidade de processamento, velocidade psicomotora, função executiva e flexibilidade cognitiva.

Os resultados comprovaram que o Zembrin® melhorou significativamente a flexibilidade cognitiva dos pacientes quando comparado ao placebo. Dessa forma, pôde-se constatar que o medicamente é um forte aliado ao tratamento da demência em casos de Alzheimer precoce, melhorando a qualidade de vida e retardando o avanço da doença, sendo o único nutracêutico capaz de regular o quadro.

Quais as demais vantagens do medicamento?

Zembrin® é seguro e não causa dependência nos pacientes que fazem seu uso. Além disso, o remédio pode ser manipulado em cápsulas, sachês, iogurtes, entre outros.

Além da recém descoberta, é conhecido que seu uso promove humor positivo, alívio rápido de estresse e ansiedade e até mesmo melhorias em quadros de compulsão alimentar e tensão pré-menstrual (TPM). Entre em contato com nossa equipe para o caso de dúvidas ou questionamentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo