Você sabe o que é medicina personalizada? Nós explicamos!

medicina personalizada

Os conceitos de atendimento médico avançam conforme a tecnologia permite, como a medicina personalizada, por exemplo. Seu objetivo é tratar a saúde, focando nas necessidades individuais de cada paciente.

Portanto, os médicos a utilizam conforme as características dos pacientes, especialmente as genéticas. Ou seja, combinam informações biológicas do paciente, com as características da enfermidade que o atinge. Dessa forma, obtém-se as melhores soluções em tratamentos.

Quer entender melhor como funciona na prática? Continue a leitura!

Do que se trata a medicina personalizada?

Inegavelmente, nem todos os medicamentos surtem o mesmo efeito nos pacientes que apresentam a mesma enfermidade. Cada organismo reage às drogas de maneiras diferentes.

Então, surgiu a oportunidade de os médicos optarem por terapias preparadas com foco nas necessidades individuais de cada paciente, dando origem à medicina personalizada.

Assim, cada paciente poderá contar com produtos específicos e precisos para seu caso. Entretanto, existem diferentes usos da técnica, que são:

Testes genéticos não invasivos

Realizados por meio de amostra de saliva, tem como finalidade ajudar na identificação de determinadas doenças. Dessa maneira, os exames auxiliam o médico a respeito das providências a serem tomadas, diminuindo os riscos. Sobretudo, ajudam a identificar predisposições à problemas cardiovasculares, câncer de mama não hereditário, câncer de pulmão, próstata e diabetes tipo 2, entre outros.

Oncologia de precisão

Trata-se da terapia personalizada, baseada num prévio estudo da biologia do tumor. Anteriormente, todos os pacientes com câncer recebiam as mesmas terapias. Dessa forma, alguns respondiam bem ao tratamento, enquanto outros não obtinham resultados satisfatórios.

Os tratamentos individuais para o câncer, fazem parte da medicina personalizada, e podem ser oferecidos como parte ativa do tratamento ou como parte de um estudo clínico.

Biomarcadores

Tratam-se proteínas, genes e outras moléculas que indicam a predisposição do organismo às doenças e/ou respostas a um fármaco. Assim, por meio deles, os médicos têm um olhar mais individualizado sobre paciente. Portanto, é possível identificar a progressão ou gravidade de determinadas patologias. Além disso, o biomarcador contribui com uma terapia mais eficaz, reduzindo os efeitos colaterais ao paciente.

Embora eficiente, esse tipo de diagnóstico ainda não é muito utilizado no Brasil. Sobretudo, porque a maioria dos pacientes não têm acesso a um atendimento médico de qualidade, principalmente no Sistema Único de Saúde.

Medicamentos manipulados contribuem com a prática da medicina personalizada

Ao se optar por medicamentos manipulados, a vantagem está em poder associar diversos medicamentos, conforme os princípios ativos e dosagens prescritas pelo médico. Dessa forma, a administração medicamentosa fica facilitada. Além disso, não há desperdício e o paciente paga pela quantidade exata de medicamento que utilizará durante o tratamento.

Outra vantagem, é a apresentação do medicamento, que pode ser em forma de sachê, cápsula, gel, creme, gotas, entre outras. Esse é uma das principais vantagens de se optar por medicamentos manipulados, disponibilizar alternativas para a administração do medicamento, de forma mais confortável ao paciente.

Ademais, os rótulos também são personalizados, de forma a apresentar as informações necessárias para a correta administração medicamentosa.

Então, agora que você conheceu mais detalhes sobre a medicina personalizada, conheça os melhores suplementos  para recomendar aos pacientes.

Referências: Hermes Pardini, Lado a Lado pela Vida, Vida e Ação, Estadão, Algo Mais e Oncoguia.

Comentários no Facebook

topo